Paróquia acolhe Ícone do Sagrado Coração

Na última terça-feira, 28 de maio, a Paróquia Santo Antônio acolheu o Ícone do Sagrado Coração. A visita faz parte da comemoração pelos 175 anos de fundação do Apostolado da Oração que será celebrado dia 03 de dezembro deste ano.

O ícone do Sagrado Coração de Jesus permanece na Forania de São José e peregrinará até o dia 1º de junho, quando seguirá para a Forania de Palhoça.

Apostolado da Oração

Movimento eclesial, que procura viver a espiritualidade apostólica e Eucarística, brotada do Sagrado Coração, fundamentada na releitura do Mistério da Paixão de Jesus.

Assim, na escola do Coração de Jesus, repousa seu programa de vida, como missionários e discípulos de Cristo, rumo à santidade, nos seguintes momentos:

Contemplação do Coração de Jesus, suas dores no alto do Calvário, expressão máxima de Amor pela humanidade.
A companhia de Maria, Mãe de Jesus, Casa de Ouro, que em seu silêncio, disponibilidade impar, acolheu o Verbo Encarnado.
O movimento da abertura do lado de Cristo, revelador de nossa redenção e do qual saiu Sangue e Água, que marca o nascimento da Igreja e nos recorda a presença vital do Espírito Santo.
A vitalidade do Apostolado da Oração encontra fundamento na Bíblia tanto no Antigo como no Novo Testamento. Lembramos do Evangelho de S.João, presente na liturgia da Missa do Sagrado do Coração de Jesus: “Contemplarão Aquele que transpassaram”. Acresça-se a fala de Jesus, referindo-se ao seu coração e repetida diariamente: “Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso” (MT 11,29)

O Apostolado da Oração confirma sua presença na Igreja pela Vida de Oração, pela participação na Eucaristia e pela inserção na vida comunitária da Paróquia, atuando na pastoral de conjunto. A eficácia da vida de Oração encontra seu cerne no Oferecimento diário ao Pai, em íntima união com JESUS, associado ao seu Sacrifício Redentor, renovado e continuado em cada celebração eucarística, em Reparação pelos pecados da humanidade.

Certo é, pela Eucaristia, pelo Coração de Jesus, pelas mãos de Maria, chegamos ao Pai, e com o Pai, participamos da COMUNIDADE, divulgando a devoção do Sagrado Coração de Jesus, nos encontros eucarísticos e realizando entronizações das imagens ou estampas do S C de Jesus e de Maria.

O Apostolado da Oração encontrou respaldo na Vida da Igreja, na manifestação dos sucessores de Pedro, nossos papas, em documentos basilares que impulsionaram seu crescimento. Seus membros trazem nos ombros uma fita vermelha, lembrando o sangue de Cristo, identificada com o bentinho – coração e a medalha em forma de cruz.

Origem da devoção

A devoção ao Sagrado Coração tem sua origem na própria Sagrada Escritura. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus por você. Este amor chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.

A devoção ao Sagrado Coração aparece em dois acontecimentos fortes do evangelho: o gesto de São João, discípulo amado, encostando a sua cabeça em Jesus durante a última ceia (cf. Jo 13,23); e na cruz, onde o soldado abriu o lado de Jesus com uma lança (cf. Jo 19,34). Em um temos o consolo pela dor da véspera de sua morte, e no outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade. Estes dois exemplos do evangelho nos ajudam a entender o apelo de Jesus, feito em 1675, a Santa Margarida Maria Alacoque:

“Eis este coração que tanto tem amado os homens. Não recebo da maior parte senão ingratidões, desprezos, ultrajes, sacrilégios, indiferenças…

Eis que te peço que a primeira sexta-feira depois da oitava do Santíssimo Sacramento (Corpo de Deus) seja dedicada a uma festa especial para honrar o Meu coração, comungando neste dia e dando-lhe a devida reparação por meio de um ato de desagravo, para reparar as indignidades que recebeu durante o tempo em que esteve exposto sobre os altares.

E prometo-te que o Meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de Seu divino Amor sobre os que tributem esta divina honra e que procurem que ela lhe seja prestada.”

O papa João Paulo II sempre cultivou esta devoção, e a incentivava a todos que desejassem crescer na amizade com Jesus.

Colaboração de conteúdo: Ana Paula dos Santos.

Leia também:

Paróquia participa da VII edição do Festival da Família na arquidiocese

Pe. Chico Wloch celebra missa em preparação ao Jubileu de Ouro da paróquia

Share