Menu fechado

Paróquia vivencia primeira Santa Missa presidida por Pe. Roberto

No dia 22 de novembro, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo, a Paróquia Santo Antônio vivenciou a primeira missa presidida por Padre Roberto C. Rodrigues de Miranda. A celebração contou com a participação de padres, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas, assim como, familiares do Padre Roberto.

A homilia, conduzida por Padre Hélio da Cunha, fez menção ao lema escolhido por Pe. Roberto, “Como o Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor” (Jo 15,9). O quão comprometedor é assumir este lema, porque querer amar a todos como o pai ama a Jesus é algo difícil. Mas deve ser um desejo diário, um norte a ser conquistado a cada instante. É um esquecer-se de si para comprometer-se com o outro. Este lema relembra e suplica pela permanência no amor de Deus, um amor que é diferente de tudo, que é melhor, que tudo transforma… Jesus nos dá a certeza de que quem permanece Nele da frutos que ficarão para sempre presentes. O amor de Deus é concreto, nunca abstrato, um amor que faz, que alimenta, que cura,… um amor que soluciona tudo. Jesus amava e ensinava o amor ao próximo e hoje ainda nos motiva a exercer esse amor a si e ao outro.

Pe. Hélio ainda partilhou sobre sua vivência com Roberto na época em que era pároco da Paróquia Santo Antônio e ele, apenas um participante ativo na comunidade de Campinas. Sobre a amizade que criaram e a caminhada que viveram até sua ida para o seminário. Orientou e aconselhou Pe. Roberto a jamais perder sua essência, sua proximidade com o povo, a deixar de orar por sua conversão diária. A estar sempre de portas abertas a Jesus Salvador, para acolher o povo sofrido, machucado,… para acolher, orientar e mostrar o caminho.

Após o momento da comunhão, a comunidade paroquial, através de Robson Silva, realizou um singela homenagem a Pe. Roberto. Com agradecimento por seu sim e a manifestação do desejo de uma vida sacerdotal abençoada e repleta de frutos.

Pe. Roberto, antes da bênção final, agradeceu a todos e partilhou da alegria que sentia. Da consciência que tem de que tudo que viveu até chegar a este momento foi graça e providência divina. Um momento tão especial para ele e aos seus. Agradeceu a todos que fizeram parte desta caminhada, cada um que se fez presente, que o ajudou em seu processo vocacional e até o momento desta celebração.

Ao final da Santa Missa, de forma restrita, aconteceu no salão paroquial uma pequena confraternização.