Menu fechado

“Pentecostes não é um fato do passado”

A Paróquia Santo Antônio, celebrou neste último fim de semana a Solenidade de Pentecostes. A celebração faz memória à vinda do Espírito Santo quando os discípulos de Jesus e Maria Santíssima, relatada no capítulo 2 de Atos dos Apóstolos. Ao se reunirem em segredo no cenáculo, surgiram línguas de fogo sobre os presentes e ficaram cheios do Espírito Santo. A partir daí os discípulos saíram de onde estavam e começaram a falar à multidão que estava em Jerusalém.

Durante Sequência de Pentecostes, que foi cantada após a segunda leitura, foram acesas as velas dos Sete Dons do Espírito Santo: conselho, inteligência, fortaleza, sabedoria, piedade, ciência e temor de Deus.

Na missa de domingo, às 19h30, em sua homilia, Padre Revelino Seidler, presidente da celebração, comparou a realidade dos apóstolos com a nossa situação durante a vida. Assim como eles tinham medo, nós também o temos hoje, diante das nossas dificuldades. Através da presença do Espírito Santo, conseguimos enfrentar nossos medos. Jesus desejava a paz e tranquilizava os discípulos. Assim nós também nos tranquilizamos ao sentir que Jesus está conosco. Jesus mostrou as mãos e o lado para que os discípulos não tivesse dúvidas. Nossas dúvidas são desfeitas ao reconhecermos a presença de Cristo em nossas vidas. Os discípulos se alegraram ao ver Jesus. Nós também, mesmo nas dificuldades, nos alegramos quando estamos junto dele.

Comentou que Jesus soprou sobre os discípulos e lhes deu o Espírito Santo. Observou que o Espírito Santo é aquele que nos move, que nos impulsiona, que não permite que fiquemos paralisados ou indiferentes. Nossa missão é sermos testemunhas do Cristo ressuscitado neste mundo. Não podemos viver divididos, nem aceitar a violência, a discriminação e a injustiça. O Espírito Santo nos leva a viver na comunhão, na unidade e na harmonia.

Explicou ainda que o Espírito Santo é como o vento. Uma força de Deus que age na vida de cada cristão. Que nos impulsiona para dentro da comunidade, para vivermos em comunhão, ao mesmo tempo que nos leva para fora, para a missão de evangelizar e testemunhar o Evangelho. Ressaltou que o Espírito Santo se manifestou através do fogo. O fogo que é utilizado para purificar metais preciosos, também nos purifica pelo Espírito de Deus.

Explanou a segunda leitura que falava sobre os dons e carismas do Espírito Santo. Cada cristão recebeu um dom para ser colocado a serviço da comunidade. Existem diferentes ministérios, pastorais e movimentos para que cada pessoa se encontre e se ponha a serviço. Dessa forma o Espírito Santo fortalece a comunidade, para que a Igreja se torne cada vez mais viva, a realizar as obras de Cristo no mundo.

O pároco concluiu ao dizer que “Pentecostes não é um fato do passado”. O Espírito Santo vem hoje e sempre sobre cada um de nós, para nos dar os dons e nos mover à comunidade e à missão.

A celebração seguiu com a Profissão de Fé até a Eucaristia. Em seguida foi realizado o rito para apagar o Círio Pascal, que ficou acesso nas celebrações desde o Sábado da Vigília Pascal.

Fotos: Wanessa Sales/Paulo Elias de Souza.